Igreja Batista Fundamentalista Cristo é Vida

Bíblia Online

[ cristoevida.com ]

  • youtube
  • Instagram
  • twitter

Mensagem Pastoral

IGREJA BATISTA FUNDAMENTALISTA CRISTO É VIDA
www.cristoevida.com


A Prisão da Alma


23 Por isso o reino dos céus é semelhante a um rei, que resolveu ajustar contas com os seus servos.
24 E passando a fazê-lo, trouxeram-lhe um que lhe devia dez mil talentos.
25 Não tendo ele, porém, com que pagar, ordenou o senhor que fosse vendido ele, a mulher, os filhos, e tudo quanto possuía, e que a dívida fosse paga.
26 Então o servo, prostrando-se reverente, rogou: Sê paciente comigo e tudo te pagarei.
27 E o senhor daquele servo, compadecendo-se, mandou-o embora, e perdoou-lhe a dívida.
28 Saindo, porém, aquele servo, encontrou um dos seus conservos que lhe devia cem denários; e, agarrando-o, sufocava, dizendo: Paga-me o que me deves.
29 Então o seu conservo, caindo-lhe aos pés, lhe implorava: Sê paciente comigo e te pagarei.
30 Ele, entretanto, não quis; antes, indo-se, o lançou na prisão, até que saldasse a dívida.
31 Vendo os seus companheiros o que se havia passado, entristeceram-se muito, e foram relatar ao seu senhor tudo o que acontecera.
32 Então o seu senhor, chamando-o, lhe disse: Servo malvado, perdoei-te aquela dívida toda porque me suplicaste;
33 não devias tu, igualmente, compadecer-te do teu conservo, como também eu me compadeci de ti?
34 E, indignando-se, o seu senhor o entregou aos verdugos, até que lhe pagasse toda a dívida.
35 Assim também meu Pai celeste vos fará, se do íntimo não perdoardes cada um a seu irmão.”

Certa vez o Pr. Larry Minter contou que, quando dirigia um orfanato em Recife, uma das mocinhas lhe procurou porque estava apavorada por ter visões do Diabo. Uma estranha sombra lhe aparecia e dizia: “Você é minha!”. E ela era crente. Depois de muito aconselhamento, ela lhe confidenciou que tinha um caderno com o nome, data e descrição, de todas as pessoas que lhe tinham feito mal e de quem ela guardava mágoa. O Pr. Larry lembrou-se de Efésios 4:26-27 (“... não se ponha o sol sobre a vossa ira, nem deis lugar ao diabo”). Ela, então, unilateralmente perdoou a todos, pediu perdão a Deus por ter guardado e alimentado rancor e vingança, e queimou aquele caderno. E nunca mais foi perturbada. Depois casou-se e hoje é uma senhora crente, membro de uma igreja evangélica e bem-aventurada serva de Deus.
Você tem mágoas e as carrega? O que Jesus, em Mateus 18:23 a 35, nos ensina?

EU SOU O PRIMEIRO DEVEDOR – Vs. 23 A 27
Todos os que crêem em Jesus Cristo - como o pagador de sua dívida do pecado diante da justiça de Deus – são o primeiro devedor da parábola. Devíamos a Deus e não tínhamos como nem com que pagar. Rogamos o Seu perdão, e Jesus Cristo assumiu e pagou na cruz do Calvário a nossa dívida (“tendo cancelado o escrito de dívida, que era contra nós... removeu-o inteiramente, encravando-o na cruz” Efésios 2:14). Deus é misericordioso para com todos os que nEle crêem e nos perdoou tudo! (Romanos 5:8).

EU POSSO SER O SERVO INGRATO E MALVADO – Vs. 28-33
A parábola tem cores vivas e é marcante. O servo tinha sido perdoado de uma quantia impagável (um talento equivalia a 6 mil denários, logo ele fora perdoado em 60 milhões de denários. E como um denário era equivalente a uma diária de um trabalhador, ele precisaria de 160 mil anos de trabalho para saldar sua dívida). Mas, mesmo recebendo imerecidamente tão grande perdão, ele não foi generoso diante de uma quantia tão irrisória de um devedor seu (algo em torno de míseros três meses de trabalho).
A aplicação é por demais óbvia: se eu não for misericordioso em dar o meu perdão às pessoas que me ofendem, tal como Deus foi comigo, o servo ingrato e malvado serei eu!

SE EU AGIR ASSIM, ENTRAREI NUMA PRISÃO DA ALMA – Vs. 34-35
A conseqüência da recusa em perdoar e de alimentar rancor é um aprisionamento da alma. É o bumerangue do pecado. O mal está retornando e cobrando altos juros. A pessoa pensa que está fazendo mal ao outro, mas, na realidade, está fazendo mal a si mesma.
Aqui a parábola de Jesus chega ao seu clímax:
32 Então o seu senhor, chamando-o, lhe disse: Servo malvado, perdoei-te aquela dívida toda porque me suplicaste; 33 não devias tu, igualmente, compadecer-te do teu conservo, como também eu me compadeci de ti?
34 E, indignando-se, o seu senhor o entregou aos verdugos, até que lhe pagasse toda a dívida.
35 Assim também meu Pai celeste vos fará, se do íntimo não perdoardes cada um a seu irmão.”
Jesus já havia ensinado aos discípulos acerca deste aprisionamento espiritual:
“Se, pois, ao trazeres ao altar a tua oferta, ali te lembrares de que teu irmão tem alguma cousa contra ti, deixa perante o altar a tua oferta, vai primeiro reconciliar-te com teu irmão; e, então, voltando, faze a tua oferta. Entra em acordo sem demora com o teu adversário, enquanto estás com ele a caminho, para que o adversário não te entregue ao juiz, o juiz ao oficial de justiça, e sejas recolhido à prisão. Em verdade te digo que não sairás dali, enquanto não pagares o último centavo” (Mateus 5:23-26).
A alma presa em ressentimentos perde a alegria de viver. Suas grades são as tristes lembranças de suas mágoas. As paredes que a esmagam são seus pensamentos obsessivos. O interior da pessoa se torna um fétido calabouço onde os torturadores a atormentam constantemente com o repassar de imagens, de cenas vividas e de tramas e soluções que nunca se concretizam.
O rei Davi, há mil anos antes de Cristo, compreendeu tudo isto. E quando compôs o Salmo 142, em que descrevia seus inimigos e clamava a proteção de Deus, percebeu que estava alimentando ódio e que se tornara paranóico em tanto pensar nos que lhe ofendiam e perseguiam. Foi, então, que, ao mesmo tempo em que rogava a proteção de Deus, pediu ao SENHOR que o libertasse daquela prisão de sentimentos feridos. Desta forma, livre, poderia louvar a Deus!
“Atende ao meu clamor, pois me vejo muito fraco. Livra-me dos meus perseguidores, porque são mais fortes do que eu. Tira a minha alma do cárcere, para que eu dê graças ao teu nome: os justos me rodearão, quando me fizeres esse bem” (Salmo 142:6-7).
 
DEVO OBEDECER À ORDEM DO MEU SENHOR – Vs. 32 e 33
Hoje fui apagar um texto (deletar, na linguagem informática). Sabe o que o computador me perguntou? “Você tem certeza?”. Ora bolas! Claro que sim. A nossa complexidade íntima muitas vezes nos faz a mesma pergunta quando queremos dar perdão, relegar as ofensas ou mesmo quando tomamos a iniciativa de resolver com paz e reconciliação os nossos problemas de relacionamento. São momentos que exigem firmeza e uma decisão baseada na convicção de que é melhor para todos nós obedecer às instruções do Senhor Jesus.
Jesus fez isso na cruz (“Pai, perdoa-lhes, porque eles não sabem o que fazem” – Lucas 23:34). Estêvão, o primeiro mártir da História do Cristianismo, seguiu o exemplo de Jesus (“Senhor, não lhes imputes este pecado” – Atos 7:60).
“É difícil” – nós dizemos, desculpando-nos para não praticar o que Jesus Cristo está nos ensinando. Mas vamos nos lembrar que a prisão da alma é uma doença tão real e danosa como qualquer doença física. E talvez até mais perigosa, porque está escondida. Seus sintomas podem se camuflar e se fazerem passar por outras coisas, enquanto nos matam lentamente. Se alguém tem câncer ou sofreu algum acidente e teve algum órgão ferido, nós corremos para socorrê-lo. Afinal, a ferida está exposta. E quanto às mágoas guardadas, azedando nossa vida, fazendo-nos murchar e  matando nossa alegria de viver?
Precisamos nos conscientizar que isto também é uma doença e que, portanto, precisamos da ajuda de Deus e de perseveramos em seguir as Suas prescrições. Necessitamos de forma urgente confiar que “o SENHOR (nos) assiste no leito de enfermidade; e que na doença (nos) afofa a cama”; e clamar: “Compadece-te de mim, SENHOR, sara a minha alma, porque pequei contra ti” (Salmo 41:3-4).

Em Israel uma vez por ano é comemorado o dia do YOM KIPPUR (O Dia do Perdão). Foi decretado feriado nacional. Os judeus param tudo, pois naquele dia o perdão é a coisa mais importante. Decrete o dia de hoje como o seu feriado do Yom Kippur , distribua perdão e liberte a sua alma!


Pr. José Nogueira


2003-09-27 00:0

TV Cristo é Vida - Ao Vivo aos Domingo
Israel 2018

© IBFCV • Igreja Batista Fundamentalista Cristo é Vida

Avenida K, nº 911 - Planalto da Barra - Vila Velha - Fortaleza - Ceará - Brasil - CEP 60348-530 - Telefone: +55 85 3286-3330