Igreja Batista Fundamentalista Cristo é Vida

Bíblia Online

[ cristoevida.com ]

  • youtube
  • Instagram
  • twitter

Mensagem Pastoral

IGREJA BATISTA FUNDAMENTALISTA CRISTO É VIDA
www.cristoevida.com


Escola Bíblica de Jovens


IGREJA BATISTA FUNDAMENTALISTA CRISTO É VIDA

www.cristoevida.com

 EBJ – 2011

ESCOLA BÍBLICA DE JOVENS

20 a 24 de julho

 

DEPRESSÃO, OPRESSÃO E POSSESSÃO

Às vezes pode ser difícil distinguir os sintomas de DEPRESSÃO e da OPRESSÃO, e até confundir com POSSESSÃO.

Há sentimentos que são difíceis de serem discernidos.

Uma compreensão do que a Bíblia ensina é muito útil.

 

Há sentimentos, mesmo fortes, que podem acometer uma pessoa, e ser justificável pela ocasião e também pela própria sensibilidade, sendo completamente normal o passar e sofrer naqueles momentos e naquelas circunstâncias. Por exemplo, durante o Exílio na Babilônia (606 a 536 a.C.), os judeus tementes a Deus passaram, toda intensidade, a melancolia ‘mórbida’ de estarem em outra terra, exilados, e sem esperança.

Leiamos o Salmo 137:

1 Junto aos rios da Babilônia, ali nos assentamos e choramos, quando nos lembramos de Sião. 

2 Sobre os salgueiros que há no meio dela, penduramos as nossas harpas. 

3 Pois lá aqueles que nos levaram cativos nos pediam uma canção; e os que nos destruíram, que os alegrássemos, dizendo: Cantai-nos uma das canções de Sião. 

4 Como cantaremos a canção do Senhor em terra estranha? 

5 Se eu me esquecer de ti, ó Jerusalém, esqueça-se a minha direita da sua destreza. 

6 Se me não lembrar de ti, apegue-se-me a língua ao meu paladar; se não preferir Jerusalém à minha maior alegria. 

7 Lembra-te, Senhor, dos filhos de Edom no dia de Jerusalém, que diziam: Descobri-a, descobri-a até aos seus alicerces. 

8 Ah! filha de Babilônia, que vais ser assolada; feliz aquele que te retribuir o pago que tu nos pagaste a nós. 

9 Feliz aquele que pegar em teus filhos e der com eles nas pedras. 

Comparemos os sintomas revelados no Salmo 137 com a notícia publicada pelo Jornal do Commercio, em 22/06/1872, sobre o famoso “banzo”:

"Apareceu ontem enforcado com um baraço*, dentro de um alçapão, na casa da rua da Alfândega, nº 376, sobrado, o preto Dionysio, escravo de D. Olimpya Theodora de Souza, moradora na mesma casa. O infeliz preto, querendo sem dúvida apressar a morte, fizera com uma thesoura pequenos ferimentos no braço ...”

* Baraco: corda de fios de linho.

Desenvolvimento

Somos seres emocionais, graças a Deus. Sentimos a vida.

E somos muitas vezes acometidos de dores em nosso interior. 

Como podemos perceber através da análise dos sentimentos do salmista e a nota do jornal de 1872 que há realmente uma complexidade na alma do ser humano. E nós, como tricotomistas bíblicos (corpo, alma e espírito – 1 Ts 5:23) devemos levar muito a sério tudo isso, a fim de que possamos, em nossos aconselhamentos e ajudas mútuas, prestar uma bíblica e eficaz ajuda.

Também devemos observar que essa notícia revela uma faceta pouco conhecida da escravidão: os escravos se suicidavam. O índice de “mortes voluntárias” entre eles, quando comparado ao de homens livres, era duas ou três vezes mais elevado. Os suicídios de escravos também se diferenciavam noutros aspectos. O mais notável deles era o fato de atribuir-se o gesto ao banzo. Ainda hoje se discute o significado dessa palavra. O mais aceito tem uma remota origem africana, equivalendo a “pensar” ou “meditar”. O termo também, há tempos, designou uma doença. Em 1799, por exemplo, Luiz António de Oliveira Mendes apresentou, na Academia Real de Ciências de Lisboa, um estudo sobre “as doenças agudas e crônicas que mais freqüentemente acometem os pretos recém-tirados da África”. O banzo constava entre elas. Os sintomas? Os escravos ficavam entristecidos, paravam de falar e, acima de tudo, deixavam de se alimentar, mesmo “oferecendo-se-lhes” – afirma o médico – “as melhores comidas, assim do nosso trato e costume, como as do seu país...”, falecendo pouco tempo depois.

Aquela melancolia mórbida que os escravos passaram, com razão provocada pelas reais e cruéis circunstâncias, não poderia ter sido agravada por uma opressão maligna?

Encontro naquela situação facilmente a depressão e a possessão (eles eram adeptos de invocação de espíritos e demônios – candomblé, macumba, etc.). E certamente estavam também suscetíveis a opressão.

Mas, isso veremos com detalhes na sequência. 

Por isso, precisamos ter um conhecimento sobre Depressão, Opressão e Possessão para nos ajudar a discernir os casos.

Nem sempre podemos resolver sozinhos nossos dilemas.

Deus levanta pessoas que tenham experiência com a Bíblia para nos ajudar

Outro exemplo esclarecedor se encontra em 2 Coríntios 7:10

Porque a tristeza segundo Deus opera arrependimento para a salvação, da qual ninguém se arrepende; mas a tristeza do mundo opera a morte”.

Deus estabelece dois tipos de Tristeza (“lypê” = tristeza, dor; usada em Lc 22:45; e quatro vezes em João 16, vs. 6, 20, 21 e 22).

 

PROGRAMAÇÃO DA EBJ/2011

- Dia 20 (quarta-feira) – 19 horas - Abertura: Diferença entre Doenças Físicas, Doenças Mentais e Distúrbios Espirituais – Pr. José Nogueira

 

- Dia 21 (quinta-feira) – 19 horas: Depressão – Dr. Remo Machado

 

- Dia 22 (sexta-feira) – 19 horas: Opressão – Pr. José Nogueira

 

- Dia 23 (sábado) – 19 horas: Possessão - Pr. José Nogueira

 

- Dia 24 (domingo):

            9 h – Estudo de Caso: Acadêmico Átila Nogueira

            18 h – Quem Ama Espera: Pr. José Nogueira

 

Realização

Mocidade Batista Fundamentalista/2011

 

 


Pr. José Nogueira


2011-07-19 00:0

TV Cristo é Vida - Ao Vivo aos Domingo
Israel 2018

© IBFCV • Igreja Batista Fundamentalista Cristo é Vida

Avenida K, nº 911 - Planalto da Barra - Vila Velha - Fortaleza - Ceará - Brasil - CEP 60348-530 - Telefone: +55 85 3286-3330