Igreja Batista Fundamentalista Cristo é Vida

Bíblia Online

[ cristoevida.com ]

  • youtube
  • Instagram
  • twitter

Mensagem Pastoral

IGREJA BATISTA FUNDAMENTALISTA CRISTO É VIDA
www.cristoevida.com


Saudades do Noivo


Saudades do Noivo

18 Ora, os discípulos de João e os fariseus estavam jejuando; e foram perguntar-Lhe: Por que jejuam os discípulos de João e os dos fariseus, mas os Teus discípulos não jejuam?

19 Respondeu-lhes Jesus: Podem, porventura, jejuar os convidados às núpcias, enquanto está com eles o noivo? Enquanto têm consigo o noivo não podem jejuar;

20 dias virão, porém, em que lhes será tirado o noivo; nesses dias, sim hão de jejuar.

21 Ninguém costura remendo de pano novo em vestido velho; do contrário o remendo novo tira parte do velho, e torna-se maior a rotura.

22 E ninguém deita vinho novo em odres velhos; do contrário, o vinho novo romperá os odres, e perder-se-á o vinho e também os odres; mas deita-se vinho novo em odres novos.

Marcos 2:18-22

Acho que ninguém percebeu, mas Cristo, logo no início de Seu ministério, alude à Sua morte. Os discípulos, ainda muito novos e inexperientes quanto ao sentido da vinda de Cristo, não devem ter entendido nada. Muito menos os demais ouvintes que, embora provocando-O, não tinham a noção exata do que Aquele Rabi significava para o mundo e para eles.

Naquele momento, eles lançaram uma questão para Cristo, em face de suas tradições, não da Lei de Deus propriamente dita, mas dentre todos os ditames que foram sendo progressivamente estabelecidos,, e que mais tarde se incorporam com os fariseus ao Talmude (aprender/estudar), livro dos deveres do israelita. Eles levantaram o problema do jejum, mencionando que os discípulos de João e dos fariseus jejuavam, procedimento este que não viam nos discípulos de Cristo.
Jesus teve, então, a oportunidade de ensinar-lhes que o jejum não deveria ser visto como uma regra definida para servir como padrão ou indicação da santidade de alguém, mas que a abstinência, que o caracterizava, tanto de alimento, bebida ou práticas de vida, era algo que devia estar ligado a uma motivação especial e significativa. Não era fazer o jejum só por fazer, para com isto aparentar santidade (o judeu se vestia de sacos, jogava cinzas sobre a cabeça e até empoava o rosto para ficar com aparência cadavérica, denotando abstinência total). Não, o jejum poderia e deveria ser praticado, desde que em vista de alguma razão especial e essencial, que exigiria do crente uma abstinência das coisas materiais e físicas para, assim, melhor poder dedicar-se às coisas elevadas e espirituais. Foi aí que Ele respondeu que os Seus discípulos iriam jejuar sim, mas diante de um motivo forte e verdadeiro: por exemplo, a Sua morte. Figurativamente, comparando a alegria em que viviam a uma festa de bodas, Ele lhes anunciou então que o esposo, Ele, o "dono" da festa, um dia lhes seria tirado, e aí, sim, eles teriam uma razão justa e real para o jejum:

"Mas dias virão em que lhes será tirado o esposo,
e então jejuarão naqueles dias."

Marcos 2:20

Jesus foi mais além. Ensinou que a "retirada" do Noivo (morte de Jesus Cristo) iria ocasionar algo totalmente novo: A Dispensação da Graça. A nova Dispensação é o período do programa de Deus que a morte do Messias abre as portas do Céu a todos os povos, bastando apenas que se confie no que Cristo fez para expiar o pecado. Essa Dispensação não é um remendo na velha Dispensação, mas uma coisa inteiramente nova (vs. 21 e 22):

Ninguém costura remendo de pano novo em vestido velho;

do contrário o remendo novo tira parte do velho, e torna-se maior a rotura.

E ninguém deita vinho novo em odres velhos;

do contrário, o vinho novo romperá os odres, e perder-se-á o vinho e também os odres;

mas deita-se vinho novo em odres novos.

É o vinho novo do primeiro milagre em Caná da Galiléia (João 2), que consistia também em não "remendar" ou "consertar" os homens, mas de fazer-lhes uma nova criação:

"E assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura, as coisa velhas já passaram, eis que se fizeram NOVAS"

2 Coríntios 5:17

As lições são muitas, bem claras e reclamam uma aplicação direta para a minha vida:

1 – O Noivo partiu. Depois de Sua morte e ressurreição, Jesus passou 40 dias com os discípulos. Depois foi assunto ao Céu, onde está à direita do Pai. Enviou-nos o Seu Espírito, o outro Consolador, que é invisível. Aguardamos a Segunda Vinda do Messias, enquanto isso, lutamos em prol do Seu Reino, em Sua Igreja local (a agência visível do Reino de Deus). Nela nos congregamos, vivendo em comunidade de fé, em koinonia (comunhão), persistindo em não deixar de congregar (como é costume de alguns, Hebreus 10:25), mas perseverando em estimular uns aos outros para viver em obediência ao Rei invisível, mas real. Esta lição deve ser cada vez mais lembrado quanto "mais vede o que dia se aproxima".

2 – Não vimos, nem vemos agora o Noivo (1 Pedro 1:8). A nossa fé é provada pelo fogo das circunstâncias. Sentimos falta do Noivo, por isso podemos e devemos jejuar diante dessas imperiosas necessidades impostas pela ausência física do Noivo.

3 – O que se converteu ao Senhor Jesus Cristo não foi remendado. Fui feito uma nova criação, devo comportar-me como tal, mesmo sabendo que Ele ainda não concluiu essa obra em mim, mas fará ("Aquele que começou boa obra em vós há de completá-la..." – Filipenses 1:8).

4 – Tenho que ver o mundo com esses novos olhos!

5 – Tenho que ver os convertidos também assim ("Assim que nós, daqui por diante, a ninguém conhecemos segundo a carne..." – 2 Coríntios 5:16).

6 – Sinto saudade do Noivo: ""Vê-lO-ei por mim mesmo, os meus olhos O verão, e não outros; de saudade me desfalece o coração dentro em mim" – Jó 19:27.

7 – Quando o Noivo voltar, vai Se unir à Sua Noiva (os convertidos), e teremos uma grande festa de Bodas no Céu (Apocalipse 19:7-8). Como Marcos, autor deste Evangelho, tenho que ser claro e objetivo ao convidar as pessoas para que queiram fazer parte desta festa celestial!


Pr. José Nogueira


2006-12-24 00:0

TV Cristo é Vida - Ao Vivo aos Domingo
Israel 2018

© IBFCV • Igreja Batista Fundamentalista Cristo é Vida

Avenida K, nº 911 - Planalto da Barra - Vila Velha - Fortaleza - Ceará - Brasil - CEP 60348-530 - Telefone: +55 85 3286-3330