Igreja Batista Fundamentalista Cristo é Vida

Bíblia Online

[ cristoevida.com ]

  • youtube
  • Instagram
  • twitter

Missões - TOM
Tempo de Oração por Missões

Universidade Hebraica de Jerusalém - Tem 8 prêmios Nobel



IGREJA BATISTA FUNDAMENTALISTA CRISTO É VIDA
www.cristoevida.com


2015-10-23 00:00:00

Universidade Hebraica de Jerusalém - Tem 8 prêmios Nobel

*******************************


Pr. José Nogueira


Documento sem título

Universidade Hebraica de Jerusalém cria centenas de
invenções e tem 8 prêmios Nobel

Israel investe mais de US$ 10 bilhões por ano em pesquisa científica.
Conheça a Universidade Hebraica, que cria 170 invenções a cada ano.

O Jornal da Globo de 21 de setembro/2015, fez uma ótima matéria, com o jornalista Rodrigo Alvarez, sobre a Hebrew University of Jerusalem.

 

 

O Jornal da Globo visitou uma das mais importantes universidades de Israel, o líder mundial de apoio à ciência, para mostrar como o investimento em pesquisas é fundamental para o crescimento de um país.

 Uma universidade onde tudo é feito para dar certo. Um campus que lembra, em muitos aspectos, o das grandes universidades dos Estados Unidos, com as portas sempre abertas para os alunos e ambientes apropriados para que eles estudem e, mais do que tudo, pensem e inventem.

 A Universidade Hebraica é mais antiga que o Estado de Israel. Está perto de completar 100 anos, teve Albert Einstein entre seus fundadores e mantém até hoje o vigor de um jovem cheio de sonhos, como todos os que lotam o laboratório de computação mesmo quando não têm aulas, tentando criar tecnologias para, quem sabe, revolucionar alguma coisa no mundo.

 Israel investe mais de US$ 10 bilhões por ano em pesquisa científica, e a Universidade Hebraica, com seus 23 mil alunos, concentra 30% dessa pesquisa. Já saíram de lá quase 9 mil patentes com uma média de 170 invenções de interesse mundial a cada ano.

 


Grupo de Arqueologia 2015 em Visita à HUJ

 

 
Mural dos Ganhadores do Prêmio Nobel

 

 
Aluno do Curso de Arqueologia ao lado da Homenagem a um dos benfeitores da HUJ.

 

 
Placa em Tributo aos Benfeitores da HUJ

 

 
Aula de Arqueologia na HUJ

 

É claro que números precisam ser colocados em perspectiva, tem que se levar em conta, por exemplo, o tamanho do país e o tamanho da economia, mas existe um número que ninguém discute, a Universidade Hebraica de Israel já recebeu oito prêmios Nobel.

De lá saiu, por exemplo, o projeto que fundou a Mobileye, uma empresa israelense que no ano passado recebeu quase US$ 1 bilhão em investimentos na bolsa de Nova York e se prepara para lançar o que possivelmente vai ser o primeiro carro comercial autônomo, ou seja, que dispensa o motorista na maior parte do tempo.

Existem obviamente inúmeros motivos para o sucesso desta universidade, mas um deles curiosamente acabou sendo revelado por uma tecnologia que eles inventaram lá. Foi depois que um professor e alguns alunos colocaram uma câmera em um ambiente para monitorar o comportamento daqueles que transitam por lá.

O sistema condensa as horas e horas de imagens gravadas pelas câmeras de segurança e transforma tudo em um vídeo de poucos minutos, diz Shmuel Peleg, professor de Ciências da Computação da Universidade Hebraica de Jerusalém. É possível saber, por exemplo, quem estava de camisa vermelha ou quem estava cometendo um certo crime. Em um espaço curtíssimo de tempo a polícia consegue saber tudo isso e muito mais.

O governo de Massachusetts divulgou que a tecnologia criada pelo professor Shmuel e pelos alunos dele ajudou a analisar as imagens do atentado da Maratona de Boston. E a tecnologia vai ser usada também nas Olimpíadas do Rio em 2016. Mas o professor avisa que tudo é segredo, justamente para que os criminosos não saibam e possam ser presos mais rapidamente.

 

Mas essa é só mais uma ideia que surgiu dentro da universidade. Se eles estão de férias e continuam trabalhando é porque o ambiente convida, os professores são bons e bem pagos e, mais do que tudo, os alunos estão decididos a criar tecnologias que vão fundar empresas e, no fim das contas, impulsionar a economia do país.

 

“Talvez a diferença entre o Brasil e aqui seja o nível de educação", diz o professor Shmuel. "Em Israel todos têm educação, não temos pobreza profunda e também não temos pessoas extremamente ricas como no Brasil. A educação aqui é a mesma para todos. A porcentagem de pessoas inteligentes é a mesma em qualquer país, mas se em Israel todos são bem educados, e se 1% deles vão criar empresas, no Brasil é apenas um pequeno grupo. Quantas pessoas são realmente bem preparadas?", o professor pergunta.

 

E basta passar um dia na universidade para perceber que o investimento público-privado, o ambiente universitário adequado e o preparo dos alunos fazem toda a diferença.

 

COMENTÁRIO DO Pr. JOSÉ NOGUEIRA:

Realmente assistir a aulas na Universidade Hebraica de Jerusalém e viver naquele ambiente acadêmico, como parte do nosso programa do Curso de Geografia e Arqueologia Bíblica, são momentos inesquecíveis.

O tour pela Universidade Hebraica, guiado pelo Prof. Ariel Horovitz, diretor do Moriah International  Center, também é uma aventura empolgante, pois o passeio pelo Campus e as informações, como o mirante que olha para Jerusalém antiga, o gabinete de Albert Einstein, almoço no restaurante universitário, a sinagoga dentro do campus, a galeria dos Prêmios Nobel e dos professores premiados internacionalmente por suas pesquisas e descobertas científicas,  são experiências marcantes – ficamos como quem sonha!

 

Outra boa notícia do Curso de Janeiro é que vamos ficar hospedados alguns dias, quando estivermos em Jerusalém, no Beit Maiersdorf Hotel, que é um aconchegante hotel dentro do campus da Universidade Hebraica de Jerusalém.

Será sensacional viver alguns dias naquele clima de estudos, tendo aulas, saindo para pesquisas pelos sítios arqueológicos de Israel, e depois voltando à noite para jantar e ter noites de visões belíssimas da Cidade Velha de Jerusalém.

 


Vista de Jerusalém – do Beit Maiersdorf Hotel

 

Como o campus e o hotel ficam sobre o Monte Scopus (o mesmo monte em que se estabeleceu o General Tito, no ano 70 d.C. e de lá comandou o ataque das legiões romanas contra Jerusalém), o local é belíssimo, cheio do encantamento das grandes histórias bíblicas.

 


Reprodução da visão de Tito, general romano, no Monte Scopus, liderando a invasão de Jerusalém, no ano 70 d.C.

 

Outra vantagem do Beit Maiersdorf é a sua localização, pois como fica dentro do campus da Universidade Hebraica, está a 15 minutos de carro do centro da cidade de Jerusalém. O hotel oferece acesso Wi-Fi gratuito, e excelentes vistas do campus da universidade e da cidade de Jerusalém. Em torno do campus se pode encontrar mini-mercado, agência de viagens e uma variedade de shops, além de excelentes linhas de transportes públicos para o centro da cidade e para a Cidade Velha de Jerusalém.

 

Conheça mais sobre o Curso de Geografia e Arqueologia Bíblica, em Israel, com Certificado da Universidade Hebraica de Jerusalém.

 

 


 

 


0





Pedidos de oração:

 

1 – OREMOS PELA NOVA ONDA DE ATENTADOS TERRORISTAS:

Nestas duas últimas semanas, temos visto uma enorme onda de novos ataques terroristas em Israel. Interessante é que ataques assim e até maiores acontecem em várias partes do mundo – mas sem tamanha repercussão da imprensa.

 

2  - OREMOS PELA NATUREZA DESSES ATENTADOS:

Na verdade está acontecendo uma competição local entre a Autoridade Palestina e o Hamas. Pelo que tudo indica Abu Mazen quer ganhar força na opinião pública. Por isso começaram a espalhar várias acusações contundentes (e mentirosas) contra Israel – principalmente sobre o Monte do Templo. Esses boatos foram divulgados pelas  mídias sociais, convocando todo muçulmano em Israel ou na Cisjordânia a sair e esfaquear israelenses.

 

3 – OREMOS PELOS JOVENS PALESTINOS ENGANADOS E USADOS COMO JOGO POLÍTICO DE LIDERANÇAS TERRORISTAS:

Os 30 ou mais ataques nessas duas últimas semanas foram realizados principalmente por pessoas muito jovens que não faziam parte de um grupo organizado, mas que estavam correspondendo à propaganda da mídia social (eles eram mais jovens, vinham de uma classe socioeconômica que tem acesso à internet; não tinham treinamento militar e estavam em locais espalhados).

 

4 – OREMOS PARA QUE A VERDADE SE ESTABELEÇA E A MENTIRA SEJA DESMASCARADA:

A propaganda contra Israel concentrou-se no Monte do Templo. A tática de culpar Israel pela injustiça social em relação aos palestinos perdeu impacto, já que os muçulmanos estão matando uns aos outros às dezenas de milhares na Síria, no Iraque e na Turquia. A única questão que ainda pode inflamar as massas é a “santidade” da mesquita Al Aqsa (construída 1700 anos depois do Templo de Salomão no mesmo local).

A mentira propagada e que engana os jovens palestinos é que Israel está invadindo a mesquita com seus “pés imundos”. Todos os israelenses sabem que isso não é verdade; contudo essas mentiras são repetidas incessantemente pela mídia. Os palestinos ouvem apenas as mentiras. Então, alguns dos jovens árabes aparentemente mais sinceros, dispostos a se sacrificar em favor da honra do seu “lugar sagrado”.

 

5 – OREMOS PELA MÍDIA SENSACIONALISTA, ESQUERDISTA E MENTIROSA:

Um fato bem documentado pelas câmeras de segurança: Uma moça palestina de 19 anos puxa uma faca de debaixo do seu vestido longo e grita “Allahu Akhbar” [Alá é grande]? E parte para cima de cidadãos israelenses. Um soldado israelense percebe, e antes que elas esfaqueie mais, ele atira e mata a jovem.

Tudo isso é bem documentado, filmado e diante de testemunhas.

Mas, o que aparece na mídia? Mostram apenas um soldado israelense atirando contra uma jovem árabe aparentemente inocente.

 

Isto tem deixado o povo de Israel revoltado, pois é grande a distorção dos fatos pela mídia internacional.

 

Mas tudo isso é profético: Certamente, Jerusalém  está se tornando a “pedra de tropeço” e “cálice de tontear para todas as nações” como está descrito nos profetas (Zacarias 12, Salmo 2).

© IBFCV • Igreja Batista Fundamentalista Cristo é Vida

Avenida K, nº 911 - Planalto da Barra - Vila Velha - Fortaleza - Ceará - Brasil - CEP 60348-530 - Telefone: +55 85 3286-3330