Igreja Batista Fundamentalista Cristo é Vida

Bíblia Online

[ cristoevida.com ]

  • youtube
  • Instagram
  • twitter

Missões - TOM
Tempo de Oração por Missões

Orando por Honduras e a missão de Joy Ridderhof



IGREJA BATISTA FUNDAMENTALISTA CRISTO É VIDA
www.cristoevida.com


2003-12-03 00:00:00

Orando por Honduras e a missão de Joy Ridderhof

Isaías 55:9


Diaconia de Missões


Joy Ridderhof  e as Gravações Boas Novas

"porque, assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos, mais altos do que os vossos pensamentos"    Isaías 55:9

Deus tem uma maneira toda especial de cuidar de seus filhos, individualmente.
 
Analisando a biografia de muitos homens e mulheres, que se deixaram usar pelo Senhor, associa-se acontecimentos em suas vidas, desde a infância, em que Deus iria, mais tarde, aplicar em alguma experiência em seu ministério.

Foi assim com, Moisés, Josué, Samuel, Davi, Paulo, William Carey, Amy Carmichael e tantos outros. E foi assim também, com Joy Ridderhof. Seu próprio nome é inglês com um sobrenome holandês. Seu pai  havia nascido na Holanda, mudou para os Estados Unidos, e assistia com a família, uma igreja sueca, porque a mãe de Joy havia nascido na Suécia. Desde pequena ouvia idiomas que não podia entender.
Joy nasceu em  30 de março de 1903. Ela lembra, que sendo a caçula de seis irmãos, quando iam a igreja,  quase sempre, dormia no colo de sua mãe, pois não podia compreender o que falavam
Muitas pessoas  da Suécia haviam mudado para os Estados Unidos a procura de trabalho, foi assim com os pais de Joy. E sua mãe tinha uma maneira toda especial de servir a Deus, ela abria sua casa para receber as pessoas novas que vinham da Suécia a procura de emprego, e ficavam em sua casa até se arranjarem. Mesmo que Joy não soubesse a língua destas pessoas ela procurava ser contente, como havia aprendido "assim é seu nome".

Naqueles dias uma  novidade estava enchendo o coração de Joy de muita alegria, seus avós estavam vindo da Holanda para morar com eles. Seu avô, era relojoeiro e tinha sempre muitos relógios com ele, Joy gostava de ouvir os vários sons dos tic-tac, tic-tac...  E a vovó era especialista em docinhos.

Quando era pequena, Joy ouviu um missionário contar sobre seu trabalho em Honduras, um país da América Central, então no seu coração ela  decidiu que seria missionária, mas na África. O encanto de poder conhecer tantas pessoas, animais, era uma motivação. Será que este era o plano de Deus para Joy?  Ou ele havia pensado em  algo melhor para ela?  Sim, o plano de Deus é sempre melhor. Podemos ler isto em Isaías 55:9

Embora Joy tivesse ouvido sobre Deus, e o seu Filho, o Senhor Jesus Cristo, tanto em casa, como na igreja, ela vivia com muitos temores. Não tinha certeza se iria para o céu.
 Aos treze anos  Joy ouviu  um crente falando de seu relacionamento pessoal com o Senhor Jesus. Ela então tentou aplicar à sua vida o trexo bíblico de João 3:3  e percebeu que não sabia se tinha nascido de novo. Os seus pecados estavam bem diante se seus olhos e Joy podia lembrar Romanos 3:23.  Ela  chorava. Havia aprendido tantas coisas, até podia convidar as pessoas à igreja, para os estudos bíblicos... mas não tinha segurança eterna.

Conforme ia ficando mais velha Joy  se perguntava: "Porque ando tanto em derrota? Por que faço tantas coisas do meu jeito, e não do jeito de Deus?"

Um dia, uma amiga a aconselhou: "Joy, você pode falar com Deus, confessar seus pecados, e pedir para ele controlar a sua vida, dê a ele  o direito de ser o seu Senhor, e creia, Ele o fará, conforme Romanos 10:9-10.

Joy atendeu a esse conselho e dedicou susa vida a seu Salvador.

Muito tempo depois Joy foi enviada para a campo missionário, não para a África, como queria, mas para Honduras, aquele país que havia escutada aos cinco anos de idade.

Ela não conhecia ninguém lá, e nem sabia falar espanhol. Da mesma maneira que foi  difícil para ela participar naquela igreja sueca, pois não compreendia a língua, era como se sentia agora  no seu campo missionário. Mas estava confiante de que, se Deus a estava direcionando para Honduras, ele a ajudaria a se comunicar em espanhol.
Joy usava um burrico para ir ao encontro das pessoas. Muitas não recebiam a mensagem com interesse. Joy corria muito perigo.

Um dia alguém envenenou sua comida e ela ficou vários dias com problemas intestinais. Seus amigos se empenharam em orar por sua vida e Deus restabeleceu sua saúde, naquela ocasião.

Depois de 6 anos servindo em Honduras, Joy enfrentou muitas crises de malária e desarranjos intestinais. Era necessário um esforço muito grande para continuar, e havia tanto para fazer, mas cada vez ela ia sentindo-se fraca e essa limitação dificultava as viagens e o trabalho para ir às aldeias.
Não queria deixar aquele povo, que ela tanto amava e a quem queria falar do amor de Deus e da sua maravilhosa salvação. Havia tantos que ainda não tinham ouvido nada...

Ela não queria ir embora, pois sabia que não teria condições de retornar para  Honduras, mas também sentia-se como uma inválida...

Ela orava "Senhor, sei que  tem um propósito ao me deixar experimentar estas fraquezas, mas tenho dificuldade em me alegrar, ajuda-me!". E aquele versículo de Isaías 55:9 outra vez, era trazido a sua memória. "Senhor, se pelo menos houvesse alguma coisa que eu pudesse fazer mesmo a distância!"

Finalmente ela foi transportada de volta aos Estados Unidos. 
Ao chegar, lhe foi recomendado, muito repouso, para  poder resistir. Mesmo com muito descanso sua saúde teve pouca melhora.
Joy orava pelas pessoas. Lembrava de cada uma delas. De uma viúva nas montanhas, que teve tanta dificuldade para entender sua mensagem e todo o esforço para aprender um único versículo.
"Se ao menos tivesse uma gravação em espanhol para mandar para ela". " Senhor, mostra-me como posso fazer isso?", ela orava. Então decidiu fazer as gravações. Como o povo gostava de música. Resolveu aprender a tocar violão. Ela comentou com seu professor de música:  "Meu desejo é fazer gravações em espanhol para ensinar às pessoas como aprender mais de Deus e viver para ele."
Enquanto esteve em Honduras, apesar de todo o seu esforço, Joy não podia se comunicar muito bem com aquelas pessoas, o seu sotaque era bem forte. Ela pensava: "Deve haver um meio, dessas pessoas ouvirem  pregações em sua própria língua, com seu próprio sotaque". Um dia ela comentou com um colega missionário:
"Gostaria tanto de ter gravações na própria língua do povo, seria tão mais fácil para eles entenderem!"  "Joy, porque você não se empenha nesse fim? Talvez Deus queira usar você para  isto! Conheço um homem que tem um equipamento especial em sua casa, creio que ele poderia lhe ajudar, e ele foi missionário na América Central."

O custo para fazer o primeiro disco foi de $30,00 (trinta dólares). Algumas pessoas amigas, ajudaram Joy nesta primeira fase de seu  projeto. Como ela ficou entusiasmada  ao ouvir aquele primeiro disco.
Depois de um tempo seu trabalho ficou conhecido e outros missionários desejavam gravações em outras línguas. Joy percebeu que este trabalho deveria abençoar muitos povos e foi assim que nasceu a missão: Gravações Boas Novas (Gospel Recordings).

Como ela sempre observava, Gravações Boas Novas ou Gospel Redordings,  nasceu  não para substituir o trabalho da igreja, mas para ser uma auxiliar na divulgação do evangelho e para o discipulado.
Hoje, as Gravações Boas Novas tem material em mais de 5.500 línguas e é usado por missionários em muitos países, especialmente em regiões onde não há eletricidade. Pois os gravadores  são feitos para uso manual e as vitrolas para disco, com manivelas.  É um material  simples e útil.


0





Pedidos de oração:

1. Conforme a notícia de 03/10/2002, as crianças e os adolescentes sofrem as conseqüências de uma vida sem a instrução da Palavras de Deus. Conhecendo as mais variadas formas de vícios, escravidão e violência são rejeitados pela sociedade que tentam eliminá-las retirando suas vidas. Orar para que Deus envie trabalhadores para esta seara que já está se perdendo. 2. Pelo trabalho realizado pelos missionários da SIL (Instituto lingüístico de Verão), estão traduzindo o Novo Testamento para as línguas dos povos garifuna e tol. Eles sofrem perseguição de grupos humanistas, que não querem permitir a entrada de missionário, nem o estabelecimento de igrejas locais, entre os grupos indígenas. 3. Pelo trabalho da SBC (Convenção Batista do Sul), que perseverem na sã doutrina, no evangelismo e treinamento, para fortalecimento dos crentes de Honduras. 4. Larry e Angie Overholt, trabalham com a Missão WGM (Would Gospel Mission), são missionários em Honduras e pedem para louvar a Deus por um rapaz de nome Nelson que aceitou o desafio de trabalhar na evangelização de jovens em Choluteca, uma cidade de 80.000 pessoas. Para que o trabalho alcance muitas vidas das trevas trazendo-as para a luz, que é o Senhor Jesus Cristo. 5. Orar pelos grupos minoritários, para que possam ser evangelizados e congregados em igrejas locais. Árabes: 42.000; turcos: 9.000; chineses: 1.000; armênios: 1.000. Não há registro de trabalho entre eles.

© IBFCV • Igreja Batista Fundamentalista Cristo é Vida

Avenida K, nº 911 - Planalto da Barra - Vila Velha - Fortaleza - Ceará - Brasil - CEP 60348-530 - Telefone: +55 85 3286-3330