AS DEZ APARIÇÕES DE JESUS RESSURRETO

A TERCEIRA APARIÇÃO: JESUS APARECE AOS DISCÍPULOS NO CAMINHO DE EMAÚS!

O Novo Testamento registra muito claramente as narrativas das testemunhas oculares de Jesus Cristo ressurreto (1 Coríntios 15:3-8). No período de 40 dias – da Ressurreição de Jesus até a Sua Ascenção ao Céu – e os Evangelhos, Livros de Atos e a Primeira Epístola de Paulo aos Coríntios citam, pelo menos, Dez Aparições de Jesus Ressurreto.

Nosso intento é estudar um pouco cada uma dessas aparições, sempre analisando e extraindo ensinamentos para nossa vida.

Assim como estudamos cada dia da Semana da Páscoa, agora entramos no período em que Jesus aparece com o corpo ressurreto, glorioso, por 40 dias, até o dia de Sua Ascenção ao Céu. Assim, estamos estudando os eventos da sequência da Páscoa.

Já estudamos a Primeira Aparição: À Maria Madalena – Marcos 16:9-11.

A Segunda Aparição: Às Mullheres próximo ao Jardim do Túmulo – Mateus 28:5-10.

Agora vamos analisar:

A TERCEIRA APARIÇÃO: JESUS APARECE AOS DISCÍPULOS NO CAMINHO DE EMAÚS!

Texto Sagrado: Lucas 24:13-35

Local: Caminho de Emaús, entre Jerusalém e a Aldeia de Emaús, cerca de 10 quilômetros de Jerusalém.

Personagens: Dois discípulos que não faziam parte do Grupo Apostólico dos 11. O versículo 18 informa que o nome de um deles era Cleopas.

Tempo: Até agora todas as aparições de Jesus se deram na manhã do Domingo da Ressurreição.

Lucas descreve com muitos detalhes essa Aparição de Jesus, usando 21 versículos. Por isso, recomendamos a leitura atenta do texto de Lucas 24:13-35, pois vamos aqui comentar apenas alguns trechos que julgamos mais importantes:

1 – Por que esses dois discípulos estavam saindo de Jerusalém? – Vs. 13-15

13  E eis que no mesmo dia iam dois deles para uma aldeia, que distava de Jerusalém sessenta estádios, cujo nome era Emaús.

14  E iam falando entre si de tudo aquilo que havia sucedido.

15  E aconteceu que, indo eles falando entre si, e fazendo perguntas um ao outro, o mesmo Jesus Se aproximou, e ia com eles.

Não sabemos o motivo dessa deserção (se foi isso). Supõe-se, pelo diálogo deles, que estavam em Jerusalém durante a semana da crucificação de Jesus, que esperaram os três dias, e que, passado o sábado, estavam voltando, no domingo bem cedo, para suas casas e à vida de antes. Nesse contexto de desilusão, Jesus se aproximou e começou a andar com eles – sem que eles atinassem que se tratava de Jesus.

2 – Olhos Impedidos de Ver – Vs. 16

“16  Mas os olhos deles estavam como que fechados, para que O não conhecessem.”

Esse é um assunto que merece um livro: As pessoas veem somente aquilo que Deus quer lhes mostrar!

Lembremos de Agar, desesperada, sem água e perdida no deserto de Berseba, sem esperança deixou seu filho e foi para longe para não ver a criança morrer. Quando o anjo disse que Deus não os tinha abandonado, os seus olhos foram abertos para que ela enxergasse um poço de água: “E abriu-lhe Deus os olhos, e viu um poço de água” (Gênesis 21:19).

Ou quando Deus mostrou a Abraão o carneiro, que estava preso num arbusto, para substituir Isaque, no sacrifício do Monte Moriah (Gênesis 22:13).

É por isso que o salmista ora: “Abre Tu os meus olhos, para que veja as maravilhas da Tua Lei.” (Salmos 119:18). Assim deveríamos fazer essa oração toda que vez que formos ler e estudar a Palavra de Deus!

3 – Quais as Últimas Notícias? – Vs. 17-24

17  E Ele lhes disse: Que palavras são essas que, caminhando, trocais entre vós, e por que estais tristes?

18  E, respondendo um, cujo nome era Cléopas, disse-lhe: És tu só peregrino em Jerusalém, e não sabes as coisas que nela têm sucedido nestes dias?

19  E Ele lhes perguntou: Quais? E eles Lhe disseram: As que dizem respeito a Jesus Nazareno, que foi homem profeta, poderoso em obras e palavras diante de Deus e de todo o povo;

20  E como os principais sacerdotes e os nossos príncipes O entregaram à condenação de morte, e O crucificaram.

21  E nós esperávamos que fosse Ele o que remisse Israel; mas agora, sobre tudo isso, é já hoje o terceiro dia desde que essas coisas aconteceram.

22  É verdade que também algumas mulheres dentre nós nos maravilharam, as quais de madrugada foram ao sepulcro;

23  E, não achando o Seu corpo, voltaram, dizendo que também tinham visto uma visão de anjos, que dizem que Ele vive.

24  E alguns dos que estavam conosco foram ao sepulcro, e acharam ser assim como as mulheres haviam dito; porém, a Ele não O viram.

Jesus lhes perguntou quais eram as últimas notícias, mas eles estavam enganados porque pensavam que as últimas notícias eram o sofrimento e a morte de Jesus.

Porém as últimas notícias eram a Ressurreição e o fato de que Jesus vive!

Aqui podemos ver o perigo espiritual de ver apenas um fato da História da Salvação, por isso muitos adoram um “Jesus Crucificado”, ainda pendurado numa cruz, e deixam de ser abençoados com a verdade que Ele morreu, porque “por nossos pecados foi entregue, e ressuscitou para nossa justificação.” Romanos 4:25.

4 – Uma Exortação e Uma Aula de Teologia Bíblica – Vs. 25-27

25  E Ele lhes disse: Ó néscios, e tardos de coração para crer tudo o que os profetas disseram!

26  Porventura não convinha que o Cristo padecesse estas coisas e entrasse na Sua glória?

27  E, começando por Moisés, e por todos os profetas, explicava-lhes o que dEle se achava em todas as Escrituras.

Após o relato da desânimo, Jesus arranca uma exortação do fundo da alma: – ‘Ó nércios e tardios para crer…!

E Jesus passa com eles por toda a Bíblia explicando as passagens messiânicas!

5 – Hora de Abrir os Olhos – Vs. 28-31

28  E chegaram à aldeia para onde iam, e Ele fez como quem ia para mais longe.

29  E Eles o constrangeram, dizendo: Fica conosco, porque já é tarde, e já declinou o dia. E entrou para ficar com eles.

30  E aconteceu que, estando com eles à mesa, tomando o pão, o abençoou e partiu-o, e lho deu.

31  Abriram-se-lhes então os olhos, e O conheceram, e Ele desapareceu-lhes.

Jesus passou o restante do domingo com eles, explicando as Sagradas Escrituras. E, ao pôr do sol, é convidado para jantar. Parece que deram grande honra ao convidado, pois descreve Ele tomando o papel do anfitrião (esse era quem abençoava a comida e servia o pão aos condidados). Jesus, então, é reconhecido, e desaparece: Para quem crer não é mais necessário ver!

6 – O Que Arde em Nós?

32 E disseram um para o outro: Porventura não ardia em nós o nosso coração quando, pelo caminho, nos falava, e quando nos abria as Escrituras?

33  E na mesma hora, levantando-se, tornaram para Jerusalém, e acharam congregados os onze, e os que estavam com eles,

34  Os quais diziam: Ressuscitou verdadeiramente o Senhor, e já apareceu a Simão.

35  E eles lhes contaram o que lhes acontecera no caminho, e como deles fora conhecido no partir do pão.

Aqueles discípulos estavam, no início, com os olhos em lágrimas a arder – que impediam de compreender o plano de Deus revelado anteriormente por Jesus. Esse arder de tristeza, de dúvida e decepção turbava a compreensão e a fé – vs. 16.

Depois perceberam o coração arder ao compreender e crer nas Escrituras – Vs. 32.

E, por fim, seus pés arderam para contar as Boas Novas aos outros – Vs. 33 e 35.

Que assim seja!

Leave a Reply

Deseja receber nossas novidades?

É só cadastrar seu email para receber nossos informativos!