AS DEZ APARIÇÕES DE JESUS RESSURRETO
A QUINTA APARIÇÃO: JESUS APARECE A 10 DOS 11 APÓSTOLOS!

Concluímos, no Domingo passado, o estudo de cada dia da Semana da Páscoa, com o Domingo da Ressurreição.
Segundo o Novo Testamento, Jesus apareceu com o corpo ressurreto por dez vezes, durante os 40 dias, da Ressurreição até o dia de Sua Ascenção ao Céu.

Historicamente estamos vivendo no período que corresponde àquele tempo bíblico, por isso decidi estudar o que se passou naquele período tão importante – entre a Ressurreição e a Ascensão de Jesus.

Estudamos:
A Primeira Aparição: À Maria Madalena – Marcos 16:9-11.
A Segunda Aparição: Às Mullheres próximo ao Jardim do Túmulo – Mateus 28:5-10.
A Terceira Aparição: Jesus Aparece aos Discípulos no Caminho de Emaús! – Lucas 24:13-35
A Quarta Aparição: Jesus Aparece a Pedro! – Lucas 24:34 e 1 Coríntios 15:4-5.

Agora vamos estudar uma das mais longas descrições das Aparições de Jesus:

A QUINTA APARIÇÃO: JESUS APARECE A 10 DOS 11 APÓSTOLOS!
Textos Sagrados: Lucas 24:36-49; João 20:19-25
Local: Muito provavelmente em Jerusalém.
Tempo: No fim da tarde do Domingo da Ressurreição.
Personagens: Os 10 apóstolos – ausência de Tomé.

Para compreendermos a importância dessa Aparição de Jesus Ressureto temos que estudar um pouco mais alguns trechos desses dois textos bíblicos que a descrevem: Lucas 24:36-49 e João 20:19-25.

1 – SHALOM ALEHEM! Paz Seja Convosco!
João 20:19- 21 descreve o dia e o clima daquele encontro:
19 Chegada, pois, a tarde daquele dia, o primeiro da semana, e cerradas as portas onde os discípulos, com medo dos judeus, se tinham ajuntado, chegou Jesus, e pôs-se no meio, e disse-lhes: Paz seja convosco!
20 E, dizendo isto, mostrou-lhes as Suas mãos e o lado. De sorte que os discípulos se alegraram, vendo o Senhor.
21 Disse-lhes, pois, Jesus outra vez: Paz seja convosco! assim como o Pai Me enviou, também Eu vos envio a vós!

– Por duas vezes, Jesus lhe dá a PAZ, pois, para corações temerosos e inquietos, o melhor antídoto é a Paz de Deus que excede todo o entendimento:

“E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos pensamentos em Cristo Jesus.” – Filepenses 4:7

– No verso 19, há o momento histórico: “a tarde, daquele dia, o primeiro dia da semana”, ou seja, ainda no Domingo da Ressurreição.

– No verso 20, é registrado que Ele mostra Suas mãos (com as marcas dos cravos da cruz) e o Seu lado (a cicatriz da perfuração da lança do soldado – ver João 19:34). Jesus lhe deixa bem claro que não era uma visão ou uma aparição de sua alma, mas que era Ele mesmo ressurreto!

– Ainda nos versos 19 e 20 há uma apresentação importante da natureza do corpo ressuscitado de Jesus. Seu corpo após a ressurreição era tão glorioso que impedia o fácil reconhecimento (lembrar dos discípulos no Caminho de Emaús e de Maria Madalena no Jardim do Túmulo), contudo era real e tangível. Tinha propriedades extraordinárias, como atravessar objetos sólidos (a casa estava bem fechada, mas não impediu dEle entrar), aparecer e desaparecer, percorrer instantaneamente grandes distâncias, mas também poderia ser visto e tocado, e podia andar e comer (embora não precisasse).

2 – A Incredulidade de Tomé – João 20:24 e 25
24 Ora, Tomé, um dos doze, chamado Dídimo, não estava com eles quando veio Jesus.
25 Disseram-lhe, pois, os outros discípulos: Vimos o Senhor. Mas ele disse-lhes: Se eu não vir o sinal dos cravos em Suas mãos, e não puser o meu dedo no lugar dos cravos, e não puser a minha mão no Seu lado, de maneira nenhuma o crerei!
Tomé é um bom exemplo de como é difícil entender e crer na ressurreição de Jesus. Ele, pelo que parece, não duvidou que Jesus tivesse aparecido às mulheres, a Pedro e aos discípulos. Ele duvidou da ressurreição corpórea – e foi corajoso para dizer o que pensava. Não era um problema tanto de fé – ele não negou que acreditava em Jesus, era um problema de entendimento: Não poderia conceber uma ressurreção tão maravilhosa, por isso é que ele detalha que precisava não somente ver as marcas dos cravos nas mãos e a cicatriz do lado de Jesus, ele tinha que tocar, que pôs os dedos nas marcas nas mães e passar a mão na cicatriz do tórax de Jesus!
O registro do ceticismo de Tomé vai corroborar no fato real da ressurreição, pois fica claro que não foi um desejo de ter acontecido que levou os apóstolos a imaginarem isso. Ao contrário disso, Jesus teve que provar para eles indubitavelmente que Ele ressuscitou!
Jesus não abandonou Tomé em sua dúvida, mas vai amorosamente revelar-se a ele (como veremos na Sexta Aparição de Jesus)!

3 – O Resumo da Quinta Aparição de Jesus – Lucas 24:36-49

36 E falando eles destas coisas, o mesmo Jesus se apresentou no meio deles, e disse-lhes: Paz seja convosco.
37 E eles, espantados e atemorizados, pensavam que viam algum espírito.
38 E Ele lhes disse: Por que estais perturbados, e por que sobem tais pensamentos aos vossos corações?
39 Vede as Minhas mãos e os Meus pés, que sou Eu mesmo; apalpai-Me e vede, pois um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que Eu tenho.
40 E, dizendo isto, mostrou-lhes as mãos e os pés.
41 E, não o crendo eles ainda por causa da alegria, e estando maravilhados, disse-lhes: Tendes aqui alguma coisa que comer?
42 Então eles apresentaram-Lhe parte de um peixe assado, e um favo de mel;
43 O que Ele tomou, e comeu diante deles.
44 E disse-lhes: São estas as palavras que vos disse estando ainda convosco: Que convinha que se cumprisse tudo o que de Mim estava escrito na Lei de Moisés, e nos Profetas e nos Salmos.
45 Então abriu-lhes o entendimento para compreenderem as Escrituras.
46 E disse-lhes: Assim está escrito, e assim convinha que o Cristo padecesse, e ao terceiro dia ressuscitasse dentre os mortos,
47 E em Seu nome se pregasse o arrependimento e a remissão dos pecados, em todas as nações, começando por Jerusalém.
48 E destas coisas sois vós testemunhas.
49 E eis que sobre vós envio a promessa de Meu Pai; ficai, porém, na cidade de Jerusalém, até que do alto sejais revestidos de poder.

Leave a Reply

Deseja receber nossas novidades?

É só cadastrar seu email para receber nossos informativos!